Sites Grátis no Comunidades.net
Translate this Page



ONLINE
1


Partilhe este Site...



Total de visitas: 287979
DILMA, PETROBRÁS E PT X BIOCOMBUSTÍVEIS
DILMA, PETROBRÁS E PT X BIOCOMBUSTÍVEIS

DILMA, PETROBRÁS E PT , VERSUS CRIACIONISMO, CIÊNCIA, MARINA E MEIO AMBIENTE - A GUERRA ENTRE O BEM E O MAL

Tá certo que o título pode parecer engraçado , mas vou desenvolver e tentar mostrar que ele tem sentido :P :D

De um lado temos um monopólio comercial no Brasil, de custo de exploração caro, que polui a terra e que impede (por não permitir concorrentes comerciais) de ser substituído por processos bioquímicos baratos para produzir combustíveis. Do outro lado, temos pesquisa científica de ponta tanto produzindo energia alternativa quanto entendendo melhor a formação geológica da terra .

Podemos fabricar a partir de material orgânico, algo muito próximo ao petróleo em 30 minutos com pressão e calor , logo o catastrofismo geológico criacionista explica bem sua formação rápida e "recente" (devido ainda conter grande quantidade de gás, conter c14 datável, etc) ... inclusive há como discernir petróleo tipo 1 vindo de algas marinhas , tipo 2 vindo de animais e florestas continentais enterradas, etc ....esta origem está mapeada, mas não impede outras origens minerais e/associações orgânicas .

http://www.pnnl.gov/news/release.aspx?id=1029

Pensando aqui com meus botões

Dada a facilidade como se descobriu que se produz biodiesel , custo baixo , e que só não é produzido em larga escala no Brasil por causa do monopólio da Petrobras (só ela poder comercializar combustíveis), começo a entender porque esta ligação propineira entre PT e Petrobras , e por que ambientalistas como Marina Silva ameaçou tanto o esquema que não é só do governo , mas dos que dependem do petróleo fóssil pra manterem seus altíssimos lucros.

Mas por falar em petroleo fossil , já que ele não será tão necessario assim mais (assim que acabarem com o monopolio comercal) , entre outras ultilidades , vou sugerir uma melhor :D descobrir nossas origens e convalidar um modelo geológico diferenciado para a terra , já que Jesus mandou a gente se preocupar mais com a alma que com o corpo e as coisas materiais :)

Pré Sal

Se temos pouco petroleo nas camadas de pós sal, nada na camada de sal e temos muito petroleo nas camadas do pre-sal, isso é evidencia que reflete 3 grandes momentos na historia da terra

1. atual com catástrofes sazonais, turbiditos que enterra na costa algumas florestas de algas e possivelmente criando depois de um tempo petróleo, gerando uma possibilidade de acerto em perfurações de 10% de se achar petróleo.

2. Um momento de mar quente secando e se movimentando em transgressões e regressões marinhas , de crosta quente fabricando sal que no movimento segregador e ajuntador de particulas (Berthaut) se tornaria camada de sal , época das LPIs (large provincie igneous) em que a crosta rachou formando as placas tectonicas https://www.youtube.com/watch?v=5PVnBaqqQw8

3.Um momento de muita decantação de sedimentos enterrando florestas de algas + o que os gigantescos turbiditos formados por regressões marinhas gigantescas do diluvio depositaram no fundo do mar (Diluvio) enterrando florestas de algas inteiras em larga escala gerando muito mais petroleo que nas camadas do pós sal , enquanto temos chance de achar petroleo no pós sal em 10% , nas camadas do pre-sal, é em torno de 100% :)
http://sodregoncalves.no.comunidades.net/pagina-sem-titulo2
http://sodregoncalves.no.comunidades.net/

O modelo criacionista advoga 3 momentos para o planeta....calmaria e estabilidade antes do diluvio , catástrofe durante e assentamento gradual das mudanças até hoje..e observei ontem estudando que isso , as camadas do pós sal , sal e pré sal refletem bem.

As camadas do pós sal (mais em cima) refletem uma terra normal com periodos sazonais de alguma catástrofe localizada , algum ou outro turbidito (quando ocorre acumulo de sedimento a beira do talude, advindos de um rio em seu delta , encontrando com o mar, este sedimento se desbarranca formando correntes de turbidêz internas no mar , carregando sedimentos lá para o assoalho oceânico.

As camadas de sal refletem conjuntamente a segregação espontanea (Bertahut ) e o resultado de muito calor na crosta (LPIs)

Grande quantidade de sal (porque quando o mar regrediu e transgridiu continentes ele formou camadas sedimentares erodidas que foram segregadas, separadas , ajuntadas, segundo sua composição quimico-fisica , pois que elas decantam de forma quase uniforme como podemos ver nos experimentos do geologo frances aqui https://www.youtube.com/watch?v=5PVnBaqqQw8 (ele tinha 6 publicações com peer review nesta area até 2010)
Grande calor das LPIs (large igneous province) porque a crosta da terra se rachou em placas e isso deve ter esquentado o assoalho oceanico formando muito sal que se depositou em cima das florestas de algas enterradas pelas primeiras decantações de sedimentos , estas florestas enterradas que formaram o pre-sal de sal de hoje

Estava assistindo aula de geologia pelo veduca e olha só http://www.veduca.com.br/assistir/sistemas-terra...

ele falou que as chances de achar petroleo no pós sal é de 10% e as chances de achar no pre sal é de 100%

isso é forte evidencia clara de catastrofe lá embaixo, enterrando as florestas inteiras subtamente, diferenciado de hoje, quando no pos sal temos poucas florestas sepultadas formadoras de petroleo, comparaticvamente

Ricardo Marques ..pelo jeito temos mais um argumento em favor do criacionismo :)

Tá no minuto 23:00 ...ele argumenta que devido esta probabilidade 1 x 1 em vez de 1 x 10 , mesmo custando apenas 10 milhoes a perfuração do pós sal, e 40 milhoes as perfurações do pre-sal, esta é mais vantajosa .

REFERENCIA DE PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTIVEL BARATO
Algas ao petróleo bruto: processo natural milhões de anos leva alguns minutos no laboratório

Processo simplifica a transformação de algas para óleo, água e subprodutos utilizáveis

Engenheiros criaram um processo químico contínuo que produz úteis minutos petróleo bruto depois de derramar em algas colhidas - uma pasta verde verdejante com a consistência de sopa de ervilha.

A pesquisa por engenheiros do Departamento de Energia do Pacífico Northwest National Laboratory foi relatado recentemente na revista Algal Research. A empresa de biocombustíveis, baseada em Utah Genifuel Corp., licenciou a tecnologia e está trabalhando com um parceiro industrial para construir uma planta piloto com a tecnologia.

No processo PNNL, uma suspensão de algas molhado é bombeado para dentro da extremidade dianteira de um reactor químico. Uma vez que o sistema está em funcionamento, sai óleo bruto em menos de uma hora, juntamente com a água e um fluxo de subproduto de material que contém fósforo que pode ser reciclado para produzir mais algas.

Com refino convencional adicional, o óleo de algas bruto é convertido em combustível de aviação, gasolina ou óleo diesel. E a água residual é processado ainda mais, produzindo gás combustível e substâncias como potássio e nitrogênio, que, junto com a água limpa, também pode ser reciclado para crescer mais algas.
http://www.martin-brower.com.br/imprensa/im_jun10_prog_biodiesel/090610_brasil_economico_sp_31.pdf