Sites Grátis no Comunidades.net Wordpress, Prestashop, Joomla e Drupal Grátis
Translate this Page



ONLINE
1


Partilhe este Site...



Total de visitas: 278491
Datação da Terra, Camadas e Fósseis está errada
Datação da Terra, Camadas e Fósseis está errada

 DATAÇÃO


https://eyeonicr.wordpress.com/2011/08/01/they-have-a-list/

dino web tecidos moles


pular para o resumo. NB: Os títulos de cada seção são os títulos dos jornais

Artigos publicados em revistas peer-

 

1. O fóssil do peixe-gato eo ambiente de deposição da formação de Green River, Wyoming:

Autores: H. Paul Buchheim e Ronald C. Surdam, Departamento de Geologia da Universidade de Wyoming, Laramie, Wyoming 82071
Link: abstrato
ICR Descrição: fin gordo Catfish em Green River Idade: 50MY Comentário: Um Answers in Genesis artigo menciona isso, citando o documento completo como dizendo do peixe-gato: "A preservação é excelente. Em alguns espécimes, mesmo a pele e outras partes moles, incluindo a nadadeira adiposa, são bem preservado. "O caso dobradiças sobre a definição de" preservado ". Eu diria que isso não significa necessariamente que os tecidos são, na verdade ainda está lá e macio. Como eu não tenho acesso a todo o artigo, eu não posso dizer em que grau ela é uma mina de cotação. Tudo que eu posso dizer é que não há nenhuma menção de tecidos moles em abstrato, e se o trabalho foi realmente o primeiro exemplo de tecido mole impossivelmente velho, então não seria certamente mais informações disponíveis em uma busca rápida no google ...

[Para trás à lista]

 

2. Preservação da osteocalcina proteína óssea em dinossauros:

Autores: Gerard Muyzer, Philip Sandberg, Marjo HJ Knapen, Cees Vermeer, Matthew Collins e Peter Westbroek, vários
link: abstrato
ICR Inscrição: Osteocalcin em um osso seismeosaur Idade: 150MY Comentário: Interessante ... Deve ser interessante notar que, como com o Schweitzer coisas dinossauro, os autores desse papel também estão sugerindo como a proteína poderia sobreviver experiências reais, desta vez tendo feito que demonstram como circunstâncias diferentes - tais como ser perto do osso - pode descontroladamente alterar as taxas de sobrevivência de proteína. Não é claro que a proteína não poderia ter sobrevivido ao tempo.

[Para trás à lista]

 

3. DNA de 30 milhões de anos de idade aumenta a um campo emergente

Autores: Morell, V, Desconhecido
Link: Primeira página
ICR Descrição: DNA no âmbar Idade: 30MY Comentário: De acordo com um artigo publicado pela Royal Society of London B:

Aparentemente DNA antigo tem sido relatada a partir de insetos conservados em âmbar muitos milhões de anos de idade. Tentativas rigorosas para reproduzir essas seqüências de DNA de abelhas e moscas amber- e preservou-copal não conseguiram detectar qualquer autêntico antigo inseto DNA. Falta de reprodutibilidade sugere que o DNA não sobrevive ao longo de milhões de anos, mesmo em âmbar, o mais promissor dos ambientes fósseis.

Isso lança dúvidas sobre se este, ou quaisquer outros antigos DNA achados são reais. A contaminação de tais achados é o principal problema. Em suma, uma vez que se verificou que um entusiasmo sobre a descoberta desse DNA antigo era prematuro.

[Para trás à lista]

 

4. Amino racemization ácido em insetos enterrados-âmbar: Implicações para a preservação do DNA:

Autores: Jeffrey L. Bada, Xueyun S. Wang, Hendrik Poinar N., Svante Pääbo e George O. Poinar,Various
link: abstrato
ICR Descrição: aminoácidos inalterada nos insetos âmbar Idade: 130MY Comentário: Mais âmbar ... Este estudo particular fez testes em insetos capturados em âmbar por vezes vão desde os 130 milhões de anos, dado certo para menos de cem anos. Eles determinaram que em âmbar a deterioração natural e modificação de aminoácidos é reduzida significativamente ao longo do que em um tubo de ensaio, dificilmente um argumento contra uma terra antiga ... E, para que o assunto, uma vez que quando são "tecidos moles" aminoácidos? Você pode torná-los abiogenically, pelo amor de Deus (não que isso afetaria os resultados aqui). NB: Este documento diz que a sua Como eu mencionei acima "conclusão é consistente com a recuperação bem sucedida relatado de sequências de ADN a partir de organismos sepultado-âmbar." , esses relatórios eram prematuros. Mas, se ele nunca Acontece que nós não encontrar tal DNA, parece que ele pode não ser tão impossível. Quer fazer ou não fazer, este trabalho está em seu próprio.



[Para trás à lista]

 

5. A sequência de ADN a partir de fragmentos ósseos período cretáceos:

Autores: Woodward, SR, NJ Weyand e M Bunnell, do Departamento de Microbiologia, Universidade Brigham Young, em Provo, UT 84602.
Link: abstrato
ICR Descrição: Dinosaur DNA do osso hadrossauro Idade: 65MY Comentário: Embora a lista dá '65MY', o fala abstratas sobre oitenta fragmentos ósseos milhões de anos de idade. Eu não tenho certeza que ele é, mas eu sei que este é um dos outros estudos de DNA antigo que desde então tem sido desacreditadas como contaminada. Como este artigo diz:

A necessidade de autenticar os resultados tornou-se evidente em meados dos anos 1990, quando uma série de estudos de alto perfil foram mostrados para ser irrepetível. Por exemplo, o DNA a fama de vir de uma dinossauros foi efectivamente a contaminação por uma inserção do gene mitocondrial humano no núcleo

Ele dá este como uma fonte, mas não consigo ver a carne da carta como eles só dar a primeira página livre (é o último na página, e vai para a próxima).

[Para trás à lista]

 

6. Revival e identificação de esporos bacterianos em 25 a 40 milhões de anos âmbar Dominicana:

Autores: RJ Cano e MK Borucki, Ciências Biológicas, California Polytechnic State University, San Luis Obispo 93407, EUA.
Link: abstrato
ICR Descrição: bactérias vivas esporos do âmbar Idade: 25-40MY Comentário: As bactérias são resistentes, especialmente na forma de esporos. Já vimos que o âmbar é um lugar maravilhoso para as coisas para sobreviver -, portanto, não é particularmente surpreendente que as bactérias podem fazê-lo.Se, por outro lado, todos âmbar foi menos de 6000 anos de idade, de acordo com Génesis, seria de esperar que as bactérias se encontram em todos âmbar. Se ele se resume a isso, a mesma coisa pode ser aplicada a praticamente tudo na lista ... De acordo com o número 39, este já foi replicado de forma independente.


[Para trás à lista]

 

7. compostos heme em osso de dinossauro trabecular:

Autores: Mary H. Schweitzer, Mark Marshall, Keith Carron, D. Scott Bohle, Scott C. Busse, Ernst V. Aarnold, Darlene Barnard, JR Horner, e Jean R. Starkey, vários
link: texto completo
ICR Descrição: fragmentos de hemoglobina em T. rex osso Idade: 67MY Comentário: Este é o primeiro do Dr Mary "[Os criacionistas] tratá-lo realmente ruins" papéis Schweitzer na lista. Do que eu posso dizer - como eu mencionei antes, eu não estou totalmente certo sobre isso -. Enquanto seus mais recentes achados dos tecidos moles podem levantar-se, este mais cedo, da hemoglobina aparente, nãoSupondo que ele faz para o minuto , os achados consistem de "compostos contendo heme e ou produtos de degradação da hemoglobina" - estamos a falar de novo. sobre o material original ainda estar lá, mas a molécula completa tendo há muito deteriorado No entanto, estudos mais recentes sugerem que esta (epossivelmente o colágeno que eu falei antes, mas eu não tenho certeza) são o resultado de 'biofilmes' bacterianas que eles demonstram como fazer, comparando o material a partir de fósseis com os filmes que cresceram em laboratório a partir de água da lagoa. Eles pareciam mostrar conclusivamente que poderia não só os filmes modernos reproduzir as características encontradas por Schweitzer et al, mas eles foram mais estreitamente relacionados entre si do que o material fóssil era o que se pensava ser.



[Para trás à lista]

 

8. O isolamento de um 250 milhões de anos de idade bactéria halotolerante de um cristal de sal primário:

Autores: Russell H. Vreeland, William D. Rosenzweig, do Departamento de Biologia, Universidade de West Chester, West Chester, Pennsylvania 19383, e Dennis W. Powers, Consulting Geologist
link: abstrato
ICR Descrição: bactérias vivas de depósito halite Idade: 250MY de comentário:Surpreendentemente, este não parece ser genuíno, e não contaminante. Enquanto isso é extremamenteinteressante, eu posso dizer que isso não ajuda os criacionistas também. As bactérias vem de um depósito evaporítica em Texas do período permiana. O problema é que os depósitos foram formadas quando o nível do mar caiu dramaticamente, cortando algumas mares que depois evaporado, deixando para trás os depósitos de sal, como o que esta bactéria foi encontrada em . Além do nível do mar caindo em no momento em que, de acordo com sua cronologia inundação standard, ele deve ter sido a aumentar ou permanecer o mesmo (o permian é inescapavelmente no meio de todas as cronologias de inundação que tentam corresponder às características geológicas, e muito muito longe do fim para os níveis do mar estar caindo), deve-se salientar que as águas não teria deixado para trás muito sal em caso de evaporação. Em suma, isso não é necessariamente incompatível com a velha terra (como eu disse, as bactérias sãoresistentes), mas os depósitos que as bactérias foi encontrado em que não ajudar YEC literalismo bíblico em tudo ... Observação: O papel que eu encontrei não é o mesmo que o papel que a lista cita, é um papel ligeiramente mais tarde pelo mesmas pessoas sobre o mesmo tema. A um na lista é foi apresentado em uma reunião, a que eu dou é de natureza.


[Para trás à lista]

 

9. cepas muito semelhantes de Halococcus salifodinae são encontrados em depósitos de sal Permo-Triássico geograficamente separadas:

Autores:
Helga Stan-Lotter, Terry J. McGenity, Andrea Legat, Ewald BM Denner, Kurt Glaser, Karl O. Stetter e Gerhard Wanner, vários
link: texto completo
ICR Descrição: bactérias vivas de sais de rock independente Idade: 250MY Comentário:Francamente , mesmo que acima. Eu não consigo encontrar nada muito sobre isso especificamente, mas eu posso encontrar um trabalho a partir de 2007 que fez o mesmo tipo de coisa (reconhecidamente por Vreeland, autor do anterior), que cita este, aparentemente como como ele doen tinha sido antes. Isto sugere que a extracção de bactérias a partir de cristais de sal se tornou chapéu de idade, como o papel não é 2007 na lista.

[Para trás à lista]

 

10. Rare preservação dos tecidos moles que mostra estruturas fibrosas em um ichthyosaur do Lower Lias (Jurassic) da Inglaterra:

Autores: Theagarten Lingham-Soliar, Instituto Paleontológico da Academia Russa de Ciências, UL, Profsoyuznaya 123, Moscou 117868, Rússia
Link: resumo, texto completo
ICR Inscrição: Ichthyosaur pele Idade: 190MY Comentário: Brian Thomas, aparentemente, descaracterizou este papel, uma vez que diz claramente que, enquanto não houver enogh do material para fazer uma análise adequada em diante, é "consistente com substituição por fosfato de cálcio." Isso quer dizer que, como a maioria dos fósseis, o material original foi "mineralizada 'e substituído por outro . Isso é perfeitamente normal, e que normalmente acontece. Não há nenhuma sugestão de que o material original permanece.

[Para trás à lista]

 

11. queratina Imunoreatividade no ostromi Cretáceo Superior Pássaro rahonavis:

Autores: Mary H. Schweitzer, John A. Watt, Recep Avci, Catherine A. Forster, David W. Krause, Loren Knapp, Raymond R. Rogers, Iwona faia e Mark Marshall link: Primeira página (imagem), abstract ICR Descrição: A queratina em Madagascar Cretáceo pássaro Idade: 65MY Comentário: queratina, como você pode estar ciente, é a substância que ajuda a tornar-se "cabelos, unhas, garras, escamas e penas" (de papel). É extremamente difícil, apenas rivalizado por quitina. A idéia é que, enquanto todos os thoses coisas foram encontrados um Millin vezes antes, Schweitzer et al parecem ter encontrado alguns dos restos do material original em alguns fósseis. E? Eu não vejo o que é tão surpreendente. Também não posso encontrar nada muito na forma de acompanhamento ...



[Para trás à lista]

 

12. Microscópio Eletrônico de Varredura Estudo das fibras de colágeno em Mummified Fossil Tyrannosaurus rex Bone:

Autores: Mark Armitage, Creation Research Society
Link: texto completo
ICR Descrição: T rex. Colágeno SEM varreduras Idade: 65MY Comentário: Isto é de organização do ICR irmã, Creation Research Society, e sua allegidly 'peer revista' (thatt é, por outro criacionistas) diário, o CRS trimestral. Armitage tomou appearently um Microscópio Eletrônico de Varredura a um velho osso do quadril T.rex, um osso humano 20 anos de idade e um osso humano 200 anos de idade. Essa última é interessante, pois é a partir de "Moab Man", um "achado controverso de cerca de dez esqueletos humanos encontrados após intimidando em uma mina cuja rocha datado do período Cretáceo, cerca de 140 Ma. "Estes costumavam ser usados ​​pelos criacionistas a alegação de que os seres humanos e dinossauros coexistiram, mas eles têm, evidentemente, desde que cedeu sob o peso da esmagadora evidência de que a descoberta é simplesmente sepultamento dos nativos americanos. O que Armitage aparentemente descobriram é que os 20 anos de idade osso do quadril humano eo T. rex osso do quadril ambos têm "intactos, mumificados fibras microscópicas de colágeno e outras características ultra-estruturais dentro de osso compacto." "Moab Man ", no entanto, não fez, mas os ossos continha" escavando restos de insetos. "Ele conclui que os ossos de dinossauros foram" rapidamente preserv [ed] na ausência de decompositores. "Agora, cada um pensa que para os ossos fossilizar geralmente eles precisam enterrado rapidamente e de distância a partir de animais que pode comer-los. Mas você não pode afirmar a partir disso que os ossos devem ser jovem. Armitage também não fornece nenhuma evidência além de sua aparência que as características encontradas são as moléculas originais, fazendo nenhum teste de produtos químicos ou similar. Se encontrar colágeno e outras proteínas realmente foi tão fácil, eu não acho que teria sido quase tanta dificuldade sobre Dr achados de Schweitzer.





[Para trás à lista]

 

13. Micrococcus luteus - Sobrevivência em Âmbar:

Autores: CL Greenblatt, J. Baum, por Klein, S. Nachshon, V. Koltunov e RJ Cano Link: abstrato,primeira página ICR Descrição: ao vivo (não esporos) bactérias em âmbar Idade: 120MYComentário: basicamente o mesmo que o anterior bactéria encontra, exceto esse tipo específico não forma esporos que podem ajudar a sobrevivência em condições difíceis. No entanto, o jornal diz que eles têm:



das evidências que suportam a visão de que esses (e relacionados membros modernos do gênero) têm inúmeras adaptações para a sobrevivência em ambientes extremos, pobres em nutrientes, traços que ajudarão a esta bactéria da persis- cia e dispersão no meio ambiente. A capacidade das bactérias para utilizar compostos relacionados com terpine ácido e de processo succ�icos, ambos os componentes principais da âmbar natural, apoiar a sua sobrevivência nesse ambiente oligotrófico.

Isto sugere que a sobrevivência das bactérias não é tão extraordinário. Certamente, por este ponto um grande número de bactérias tinham sido encontrados a partir de fontes anceint.

[Para trás à lista]

 

14. Os navios tecidos moles e Cellular Preservação em Tyrannosaurus rex:

Autores: Mary H. Schweitzer, Jennifer L. Wittmeyer, John R. Horner e Jan K. Toporski, vários
link: resumo, texto completo
ICR Descrição: T. rex tecidos moles Idade: 68MY Comentário: Por um lado, o PLoS um papel pode contestar isto, ou, em alternativa, se não, eu acredito que eu disse meu pedaço sobre este tema elseware, em tecidos moles e falácias lógicas e Tecidos Moles estão para trás!

[Para trás à lista]

 

15. Alta fidelidade preservação orgânico de medula óssea em ca. 10 anfíbios MA:

Autores: Maria E. McNamara, Patrick J. Orr, Stuart L. Kearns, Luis Alcalá, Pere Anadon e Enrique Peñalver-Mollá Link: abstrato ICR Inscrição: rã macia, intacta Idade: 10MY Comentário: Apesar da descrição do ICR do ser frog um suave, o que foi realmente encontrado foi de medula óssea intacta sob a forma de um resíduo orgânico. O resumo também mencionou que:



As amostras de medula óssea em que é preservada variam em sua integridade e articulação e na medida em que o contorno do corpo conserva-se como uma película fina de bactérias organicamente conservados.

Eu não sei se isso conta. Posso dizer que este é apenas 10 milhões de anos, em comparação com os achados muito mais velhos que não são tão impressionante como eles acham menos das coisas.

[Para trás à lista]

 

16. As análises dos tecidos moles do Tyrannosaurus rex sugerem a presença de proteínas:

Autores: Mary Higby Schweitzer, Zhiyong Suo, Recep Avci, John M. Asara, Mark A. Allen, Fernando Arce Teran e John R. Horner Link: resumo, texto completo ICR Descrição: T. rex colágeno Idade: 68MYComentário: Schweitzer novamente. Veja acima.



[Para trás à lista]

 

17. Alta fidelidade preservação orgânico de medula óssea em ca. 10 anfíbios MA:

ICR Descrição: sangrento sapo medula óssea Comentário: Parece ser uma repetição do 15 - mesmo número da página na revista e tudo, apenas dado uma data diferente. Um pouco melhor descrição.

[Para trás à lista]

 

18. A seção transversal exclusivo através da pele do dinossauropsitacossauro da China que mostra uma arquitetura de fibra complexa:

Autores: Theagarten Lingham-Soliar, Escola de Ciências Biológicas e da Conservação da Universidade de KwaZulu-Natal Private Bag X54001, Durban 4000, África do Sul
Link: texto completo
ICR Descrição: psitacossauro pele Idade: 125MY Comentário: Mais uma vez, o "tecido preservado "tem sido mineralizada - isto é, adequadamente fossilized e nenhum do material original permanece.

[Para trás à lista]

 

19. A cor das penas fósseis:

Autores: Jakob Vinther, Derek EG Briggs, Richard Prum O e Vinodkumar Saranathan link: texto completo ICR Descrição: melanócitos penas Idade: 100MY Comentário: Os melanócitos parecem ser fossilizada, que não iria apoiar este 'tecido mole' / stuff material original . Eu não posso dizer se o eumalanin interior é suposto ser o original ou não - eles não parecem ter evidência observacional direta de dizer o quanto intacto o polímero é no fóssil, embora eu ficar com a impressão de que eles acho que ainda é lá. Outro estudo sobre um tema semelhante diz que "não há grande evidência de que melanossomas são altamente resistentes à degradação química e física e ter maior resistência à cárie do que o substrato de queratina de penas e pêlos em uma variedade de ambientes físicos." Estes são sólidos organelas!




[Para trás à lista]

 

20. Biomolecular Caracterização e sequências de proteínas do Campanian Hadrosaur B. canadensis:

Autores: Mary H. Schweitzer, Wenxia Zheng, Chris L. Organ, Recep Avci, Zhiyong Suo, Lisa M. Freimark, Valerie S. Lebleu, Michael B. Duncan, Matthew G. Vander Heiden, John M. Neveu, William S. Lane, John S. Cottrell, John R. Horner, Lewis C. Cantley, Raghu Kalluri e John M. Asara Link: resumo, texto completo ICR Descrição: Hadrosaur vasos sanguíneos Idade: 80MY Comentário: Mais uma vez, um Schweitzer. O que aparentemente foi encontrado é algumas moléculas dispersas das proteínas quecompõem os vasos sanguíneos, e também da matriz óssea. A tendência que eu estou vendo a partir dos estudos mais recentes Schweitzer é tha ela encontra os traços das moléculas, em vez de as grandes quantidades que Armitage supposidly encontrados.



[Para trás à lista]

 

21. coloração estrutural em uma pena fóssil:

Autores: Jakob Vinther Derek EG Briggs, Julia Clarke, Gerald Mayr e Richard O. Prum link: texto completo ICR Inscrição: roxo Messel nanoestrutura pena Idade: 40MY Comentário: Tal como acontece com o estudo anterior Vinther, o que foi encontrado foram melanossomas fossilizados. Eles foram preservados em uma estrutura que é visto em pássaros modernos que os torna iredescent. Como dizem no estudo:



Penas com este tipo de produtor de cor nanoestrutura geralmente aparecem preto com um brilho iridescente brilhante ou oleosa. Dependendo da espessura da camada de queratina (a partir de cerca de 100. A mais de 300 nm), a cor varia em iridescente reflectância de ultravioleta ou azul saturada com um aspecto oleoso.

(referências ommitted)
Não parece ser muita evidência de coisas que não poderia concebivelmente sobreviveram 40 milhões de anos.

[Para trás à lista]

 

22. Completa Primaz esqueleto do Eoceno Médio de Messel na Alemanha: Morfologia e Paleobiology:

Autores: Jens L. Franzen, Philip D. Gingerich, Jörg Habersetzer, Jørn Hurum H., Wighart von Koenigswald, B. Holly Smith Link: texto completo ICR Inscrição: Primata "Ida" esboço corpo moleIdade: 40MY Comentário: Eles citam o famoso Darwinius masillae estudo só para falar de um "esboço corpo mole"? O nervo! O documento diz:



Uma sombra escura envolve quase todo o esqueleto, incompletas apenas no rabo. Essa sombra indica o ex-contorno do corpo e da pele produzida como resultado da atividade bacteriana.

Não vejo qualquer menção da existência de qualquer material orgânico encontrado que sobreviveu 40 milhões de anos sem ser envolvido em fossilização.

[Para trás à lista]

 

23. estrutura dos tecidos moles mineralizada e química em um hadrossauro mumificado da Formação Hell Creek, North Dakota (EUA):

Autores: Phillip L. Manning, Peter M. Morris, Adam McMahon, Emrys Jones, Andy Gize, Joe HS Macquaker, George Wolff, Anu Thompson, Jim Marshall, Kevin G. Taylor, Tyler Lyson, Simon Gaskell, Onrapak Reamtong, William I . Vendedores, Bart E. van Dongen, Mike Buckley e Roy A. Wogelius link:texto completo ICR Inscrição: Hadrosaur estruturas celulares da pele Idade: 66MY Comentário: A partir do resumo:



Cimentos de minerais precipitados na pele aparentemente seguem limites celulares originais ...
... proteínas intactas não poderia ser obtido usando espectrometria de massa de proteína ...
... [evidência] de sobrevivência e na presença de macromoléculas que estavam na parte alifática ...

As "estruturas de células da pele" são claramente mineralizada, e, conseqüentemente, não o que estamos procurando. Os outros materiais orgânicos encontrados miscellaneos segurar alguma promessa nesse departamento, mas como de costume é quase disproof-de-terra-old-tipo material.

[Para trás à lista]

 

24. Pattern of Marine Mass Extinction Perto do Permiano-Triássico Boundary no Sul da China:

Autores: YG Jin1, Y. Wang, W. Wang, QH Shang e CQ Cao Nanjing Instituto de Geologia e Paleontologia, Academia Sinica, Nanjing 210008, China. E DH Erwin, Departamento de Paleobiology, MRC-121, Museu Nacional de História Natural , Washington, DC 20560, EUA.
Link: abstrato
ICR Descrição: quitina de fungos onipresentes em Permio-Triássico Idade: 250MY Comentário: Em primeiro lugar, este estudo parece ser colocado no lugar errado na lista como eles dizem que é a partir de 2009, mas de facto é a partir de 2000 - deve ser em torno de número 12, não 24. Como só posso ver o resumo eu não consigo ver nenhuma evidência para a afirmação da ICR. O título eo resumo do estudo sugerem que não tem nada a ver com quitina, e se for mencionado é provavelmente apenas de passagem.Você não deve realmente fazer alegações sobre as coisas à sua referência nunca foi destinado a determinar. A lista de artigos que citam este artigo igualmente parecem não ter nada a ver com a quitina, que me dá a impressão de que este não é o go-to de papel no Permiano-Triássica quitina, e se não falar sobre quitina ele faz referência a outro artigo sobre esse assunto, que deve estar nesta lista em seu lugar.



[Para trás à lista]

 

25. Preservar o unpreservable: um mundo perdido redescoberto em Christian Malford, UK:

Autores: Philip R. Wilby, Keith Duff, Kevin página, Susan Martin Link: abstrato ICR Inscrição: Squid tinta Idade: 150MY Comentário: Nada em abstracto sobre a tinta, mas eles fizeram claramente no artigo completo, pois há inúmeros relatos de notícias sobre o assunto - aqui está. um, por exemplo ". uma polegada de comprimento saco de tinta preta" o que aparentemente foi encontrado era um Ou os conteúdos ou o próprio sac (não tenho certeza) foi moído e misturado com uma solução de amoníaco, que aparentemente produziu uma tinta razoável "bom o suficiente para permitir-lhes para desenhar o animal squid-like e escrever seu nome em latim." Exatamente o que o compisition química da substância era eu não sei - esta é a chave para saber se ele poderia concebivelmente feita para contar. Um ingrediant importante na tinta de lula é a melanina, e já vimos que as organelas que produzem pode ser fossilizada e da própria molécula pode ser capaz de sobreviver / ser-se fossilizada (não tenho certeza). O 'tinta' que eles didn 't jogar com elseware foi enviado para análise química - no entanto, eu não consigo encontrar onde os resultados para que sejam publicadas ou o que eles são. Como tal, nenhuma conclusão pode ser razoavelmente elaborado a partir do material que tenho em mãos.






[Para trás à lista]

 

26. preservação Orgânica da musculatura fóssil com detalhe ultracellular:

Autores: Maria McNamara, Patrick J. Orr, Stuart L. Kearns, Luis Alcalá, Pere Anadon e Enrique Peñalver-Mollá link: texto completo ICR Inscrição: musculares Salamander, todo Idade: 18MYComentário: Um estudo intersting. Nós temos o relatório de "musculatura organicamente preseved", como apposed a minerlisation, e sem proteção de estar dentro de âmbar ou um osso. Eles atribuem a "sulfurização de moléculas orgânicas dentro do tecido ... um fenômeno diagenetic comum ... documentado em vários carbonato, evaporite e siliceous dominada por lodo, marinhos e ambientes não-marinhos." Eles prevêem que "um exame cuidadoso de espécimes irá confirmar que de alta fidelidade preservação orgânica dos tecidos moles instáveis ​​é relativamente comum no registro fóssil, particularmente em ambientes lacustres. "Tanto quanto eu posso ver, não é muito impressionante, como" músculo Salamander, todo "torna-se, e é de apenas 18 milhões de anos - você vai notar que as coisas mais velhas são menos as pessoas encontrar, que é o que seria de esperar, dadas as circunstâncias. Parece que, pelo menos em fósseis mais recentes, genuíno preservação orginal-material de tecido mole pode ser razoavelmente comum, mesmo, especialmente em contextos "lucastrine" (lago). Sua descrição dos tipos de lugares onde os processos de preservação acontecem - "carbonato, evaporite e siliciosos ... ambientes dominados-ooze" - não é particularmente fácil para um dilúvio global para replicar. Ooze não é um dispositivo elétrico na história de Noé, tanto quanto eu posso me lembrar ...




[Para trás à lista]

 

27. melanossomas fossilizados e a cor dos dinossauros do Cretáceo e aves:

Autores: Fucheng Zhang, Stuart L. Kearns, Patrick J. Orr, Michael J. Benton, Zhonghe Zhou, Diane Johnson, Xing Wang Xiaolin XU1 & Link: primeiro parágrafo, o texto completo ICR Descrição:Sinosauropteryx melanossomas Idade: 125MY Comentário: Veja 19 e 21 - este é efectivamente a mesma coisa. No entanto, eles aparentemente estão usando a descoberta dos melanossomas no debate protofeathers. A idéia é que em algumas características exibit primeiros dinossauros terópodes que foram descritos como protofeathers. Aqueles que teria aves não ser dinossauros pensam que os terópodes que undiniably têm penas não são realmente dinossauros, e dos protofeathers 'sobre os terópodes anteriores são realmente colágeno fibras. Por exemplo, em 18, foi demonstrado que as características semelhantes em dinossauros não-terópodes eram de facto (mineralizados) fibras de colagénio. Contudo, no presente estudo que encontraram melanossomas fósseis, como aqueles que foram encontrados antes de penas (mais uma vez, ver 19 e 21) que é uma prova em outra direção. Esta é uma pesquisa emocionante! (E que digressão tem nada a ver com se este é ou não "tecidos moles". Tanto quanto eu posso ver que não estamos falando de qualquer material original aqui. Mais uma vez, consulte as entradas de penas anteriores. )






[Para trás à lista]

 

28. O tegumento de psitacossauro da província de Liaoning, China: tafonomia, padrões epidérmicas e cor de um dinossauro ceratopsian:

Autores: Lingham-Soliar T, Plodowski G, Ciências Biológicas e da Conservação, Ciências Biológicas Construção da Universidade de KwaZulu-Natal, Westville Campus, P. Bag X54001, Durban, África do Sul
Link: abstrato
ICR Inscrição: psitacossauro cor da pele Idade: 125MY Comentário : Lingham-Soliar e contador de Plodowski a. acima Acham melanossomas em sua cabeceira de dinossauro, e argumentam que isso significa que "a decomposição dos lançamentos de pele pigmentos que prontamente permeiam as estruturas subjacentes", como ninguém é aguing que Psittacosaurus tinha protofeathers. Eu não sei o quanto direta evidência que eles têm dos melanossomas em seu fóssil, e como eles contrariar afirmações de que as organelas estão em arranjos ordenados, que já havia sido usado como parte da evidência de que eles eram melanossomas e não tinha como bactérias anteriormente se pensava. Eu não posso ver nada que possa torná-lo uma verdadeira sobrevivência impossível de caso de material original neste, como com o anterior.


[Para trás à lista]

 

29. pêlos de mamíferos em âmbar Cretáceo Inferior:

Autores: Romain Vullo, Vincent Girard, Dany Azar e Didier Néraudeau Link: abstrato ICR Inscrição:cabelo Mamífero em âmbar Idade: 100MY Comentário: Tanto quanto eu posso dizer a partir do resumo, este é apenas perfeitamente comum forma preservado-in-âmbar , embora, neste caso, é no extremo detalhe e é de um mamífero com o cabelo Mesoic, algo que não tinha sido encontrado antes em um estado que pode ser analisado da maneira que esta specimine é aparentemente analisada neste papel.Caso contrário, nada fora do comum.



[Para trás à lista]

 

30. penas do Archaeopteryx e química osso plenamente revelado através de imagens síncrotron:

Autores: U. Bergmann, RW Morton, PL Manning, Sellers WI, S. Farrar, KG Huntley, RA Wogelius, e P. Larson Link: texto completo ICR Descrição: Archaeopteryx tecido original Age: 150MYComentário: Assim, parte do material original a partir de um excepcionalmente bem -preserved fóssil pode ter sobrevivido. Tenha em mente que eles estavam olhando apenas para os metais que ajudaram a tornar-se o "material original 'e não poderia realmente dizer se as próprias moléculas estavam lá, como com uma recente DPSU. Isto não tem qualquer influência sobre a idade da Terra ou os fósseis, e apenas sobre o processo de fossilização. Isso nos dá uma idéia do que materiais vaza para os seus arredores durante a fossilização e quais não. Não é o tipo de coisa que os criacionistas devem desperdiçar seu tempo discutindo sobre ...




[Para trás à lista]

 

31. Evolução Convergent em Tetrapods Aquáticos: Insights de um Mosasaur Fossil Excepcional:

Autores: Johan Lindgren, Michael W. Caldwell, Takuya Konishi, Luis Chiappe M. Link: texto completoICR Descrição: sangue Mosasaur, retina Idade: 65-68MY Comentário: eu amo esse título - ele faz parecer que eles estão recebendo informações importantes a partir de um saco de ossos sentado em uma cadeira de praia. Ou é assim que eu imagino que, de qualquer maneira ... A evidência para a retina é * bocejo * fossilizados melanossomas, enquanto o material de que os "somes são encaixados em é mineralizada. Temos também em outros lugares evidência de que é" sugestivo da presença de hemoglobina Produtos de decomposição e, portanto, indicativo de que os traços podem representar resíduos de órgãos viscerais derivados do animal em decomposição. "Mas sua" análise SEM-EDX demonstrado que as áreas manchadas contêm ferro, oxigênio e carbono, para sugerir uma substituição parcial da matéria orgânica com qualquer siderite ou pirita (que, por sua vez, pode ter alterado a oxihidróxidos de ferro), ou seja, minerais diagenéticas comumente associado com a preservação excepcional tecidos moles. "Então, não é bem um, completo caso a sobrevivência material original impossível ...





[Para trás à lista]

 

32. A evidência fóssil para a evolução da forma e cor das penas do pinguim:

Autores: Julia A. Clarke, Daniel T. Ksepka, Rodolfo Salas-Gismondi, Ali J. Altamirano, Matthew D. Shawkey, Liliana D'Alba, Jakob Vinther, Thomas J. DeVries e Patrice bebê Link: abstrato ICR Descrição: penas do pinguim Idade: 36MY Comentário: Nada tão longe quanto eu posso ver em abstrato que consiste em nada além do que a observada em 21 com relação ao material original - eles mencionam que eles encontraram "que conferem cor melanossomas fossilizados" semelhantes às que são encontradas em outras aves, em contraste com os maiores e de forma estranha encontrados em pinguins modernos. Evolução em ação!



[Para trás à lista]

 

33. O camarão mais velho (Devoniano: Fameniano) e notável preservação do tecido mole:

Autores: Rodney M. Feldmann e Carrie E. Schweitzer, do Departamento de Geologia, Kent State University
link: abstrato
ICR Descrição: shell camarão e músculo Idade: 360MY Comentário: Portanto, há vários.Schweitzers ... vale ressaltar Este espécime ", foi phosphatized, e os músculos do pleon foram preservados completamente o suficiente para que as bandas musculares discretas são perceptíveis. "Esse tipo de fossilização preserva coisas excepcionalmente bem, e é responsável por uma série de coisas que fizeram-lo para esta lista, acidentalmente, eu acho. Veja o resumo para obter mais informações sobre esta confusão.


[Para trás à lista]

 

34. assinatura molecular do complexo de quitina em artrópodes-proteína Paleozóicos:

Autores: George D. Cody, Neal S. Gupta1, Derek EG Briggs, ALD Kilcoyne, Roger E. convocação, Fabien Kenig, Roy E. Plotnick e Andrew C. Scott Link: abstrato ICR Descrição: quitina e quitina proteína associada Idade: 417MY Comentário: Estes cientistas descobriram "uma assinatura molecular de um complexo de proteína quitina-relíquia", que soa promissor. Acrescentam por meio de um mecanismo possível:



Preservação de um resíduo de quitina-proteína de elevado teor de azoto na cutícula artrópode orgânica provavelmente depende de condensação de ácidos gordos derivados de cutícula num andaime molecular quitina-proteína estruturalmente modificado, preservando assim o complexo de quitina-proteína remanescente e cutícula da degradação por microrganismos .

Isso parece factível - o mecanismo para a degradação da quitina aparentemente requer bactérias, que precisam ser capazes de acessar o material. Não parece haver nenhuma objeção ao material que sobrevive que hundereds também sobreviventes de milhões de anos. Mas então eu poderia estar errado - Eu não posso ler além do abstrato.
E quitina é material duro, afinal.

[Para trás à lista]

 

35. Microspectroscopic Evidência de Cretáceo proteínas ósseas:

Autores: Johan Lindgren, Per Uvdal, Anders Engdahl, Andrew H. Lee, Carl Alwmark, Karl-Erik Bergquist, Einar Nilsson, Peter Ekström, Magnus Rasmussen, Desirée A. Douglas, Michael J. Polcyn, Louis L. Jacobs Link: completos texto ICR Descrição: C-14 data de Mosasaur (24.000 Yrs) Idade:70MY Comentário: A data C-14 foi usead como parte da prova de que o colágeno que eles encontraram não era proveniente de fontes modernas - é "muito provavelmente reflete a atividade bacteriana perto da superfície exterior do osso ". Traduzindo a quantidade de carbono em uma data olha quase como uma reflexão tardia ... O colágeno em si é interessante. Como de costume, eles sugerem mecanismos plausíveis para suvival, relativa a inacessability de micróbios etc. Não consigo encontrar qualquer acompanhamento sobre isso, embora pareça razoavelmente sólida.




[Para trás à lista]

 

36. mapeamento infravermelho resolve preservação dos tecidos moles na pele do réptil 50000000 anos de idade:

Autores: NP Edwards, HE Barden, BE van Dongen, PL Manning, PL Larson, U. Bergmann, Sellers WI e RA Wogelius Link: abstrato (a menos que você está lendo este 2 anos + on) ICR Descrição: Pele do lagarto rabo, Green River Idade : (?) 40 MY (papel diz 50, ICR diz 40) Comentário: Eles encontraram "amida e compostos de enxofre", que são provavelmente os produtos de degradação da queratina beta na pele. Eles dizem:



Um novo modelo tafonômica ternário que envolve a complexação entre moléculas orgânicas derivadas de queratina, metais vestigiais e divalente superfícies de silicato é apresentado [no papel] para explicar a sobrevivência dos compostos observados.

Isso é ciência para você. Eu poderia fazer com ser capaz de ler o resumo passado, nas circunstâncias ...

[Para trás à lista]

 

37. Peptídeos dinossauro Sugerir Mecanismos de proteína de sobrevivência:

Autores: James D. San Antonio, Maria H. Schweitzer, Shane T. Jensen, Raghu Kalluri, Michael Buckley, Joseph PRO Orgel Link: texto completo ICR Descrição: colágeno tipo I, T. rex hadrossauro Idade:68MY Comentário: já coberta, em tecidos moles e falácias lógicas e Tecidos Moles estão para trás!.



[Para trás à lista]

 

38. traços de metais como biomarcadores para Eumelanin Pigment no registro fóssil:

Autores: RA Wogelius, PL Manning, HE Barden, NP Edwards, SM Webb, Sellers WI, KG Taylor, PL Larson, P. Dodson, H. Você, L. Da-Qing, U. Bergmann Link:

ICR Descrição: Pássaro pigmento pena Idade: 120MY Comentário: Coberto de Eu detecto um Padrão

[Para trás à lista]

 

Relatórios Peliminary Publicado elseware

 

39. Âmbar Ale: a produção de cerveja a partir de levedura de 45 Million-Year-Old:

Autores: Erin Bilba, Wired
link: artigo
ICR Descrição: levedura viva no âmbar Idade: 45MY Comentário: A partir de Dr Raul Cano, o homem que nos trouxe número 6. Nós já sabemos que o âmbar é bom em preservar as coisas, e é bem conhecido que a levedura é capaz de sobreviver longos períodos (como na forma que é quando você comprá-lo na loja). Em suma, isso é verdade, mas não surpreendente. Embora possa ter sido em 1995, quando a levedura foi realmente encontrado, ao invés de quando o cara resolveu fazer um pouco de cerveja com isso mais tarde ... Nota: Nem o artigo real que é mencionado na lista, mas perto o suficiente.


[Para trás à lista]

 

40. Peças do cérebro Encontrados Em ancestral humano antigo:

Autores: Jennifer Viegas, Discovery News
link: artigo
ICR Inscrição: Australopithecus sediba cérebros Idade: 1900000 anos Comentário: eu posso encontrar a Ciência artigo referido no papel, mas não é sobre o cérebro. Eu fizer o upload aqui de qualquer maneira (ele estava em um torrent). De qualquer forma, novas espécies de Australopithecus encontrado, e um "remanescente" do cérebro podem existir em um dos dois fósseis. A questão do que o resto é feito de não se discute - que poderia ser fossilizada como alto de outras coisas que foram errornouly colocado nesta lista, ou pode ser algo mais parecido com o muito mais velho da medula ósseade mais cedo. O problema com notícias artigos é que eles não vão te dizer estas coisas. Eles não acho que é importante, por algum motivo.



[Para trás à lista]

 

41. Haworth adolescente descobre fósseis raros:

Autores: Keighly Notícias
Link: artigo
ICR Descrição: lagosta shell Idade: "milhões" Comentário: eu tenho confirmationthat o shell não tenha sido phosphatised, mas eu não sei o que aconteceu. Interessante, mas a falta de acompanhamento está dizendo. Classifica na parte inferior de uma curta lista de fósseis interessantes trazidos para o Museu de História Nacional de Londres. Eu sou, conseqüentemente, incapaz de comentar mais.

[Para trás à lista]

 

42. School of Mines paleontólogos fazer monstro achado:

Autores: Cindy Cartão Buchholz, Rapid City Journal
link: artigo
ICR Descrição: Mosasaur cartilagem Idade: 80MY Comentário: A origem do que é "Há cartilagem ainda na omoplata e em um osso chamado de coracoid." Nada a dizer que este é a origem do tecido. Ainda pode ser mineralizada


[Para trás à lista]

 

Resumo

Como este post tornou-se assim por muito tempo eu vou escrever o resumo separadamente. Você deve ser capaz de encontrá-lo aqui em breve (ou agora, se eu ter escrito isso pelo tempo que você ler isto).Inscrever-se!

 

 

 

 

O artigo que fiz que apresenta alguns argumentos testados diante de banca virtual  com 4 professores de geologia, em defesa da rapida fomação do cambriano ao pleistocenom  está disponivel neste link no qual se encontra o texto revisado por Dan de Barna

http://www.adamsapple.com.br/2013/10/tempo-de-formacao-do-cambriano-ao-pleistoceno-i-projeto-de-pesquisa/

 

http://written-in-stone-seen-through-my-lens.blogspot.com.br/2014/06/geological-legacies-of-paris-basin-part.html

 

http://unconventionalgeology.blogspot.com.br/2011/10/intracratonic-basins.html

 

 

 

 

 

Tempo de Formação entre Cambriano ao

 

Pleistoceno CLIQUE AQUI 

 

 

 

 As pessoas vêem milhares ou até milhões de cachoeiras ao redor do mundo de águas fortes batendo em quinas de rochas que foram quase nada desgastadas mostrando estarem aqui a muito pouco tempo , cachoeiras e outras formações rochosas rodeadas de cenários de destruição e formação catastrófica geológica que necessitaria  de energia de proporção ou magnitude global para serem feitas, e ainda assim, acreditam que alguns testes escolhidos que venham se harmonizar a uma teoria vigente em vez desta obviedade simples, seja, não só mais verdadeiros, como  também absurdamente absolutos.